Resenha inaugural de Febre Noturna

Autor Jean Ávila
Obra: Febre Noturna
Autor das obras publicadas: O Ladrão de Pecados e A Droga do Paraíso


Para quem ainda não leu alguma obra do escritor Jean Ávila, recomendo que comece a fazer isso urgentemente. Eu li todas, e concluí semana passada – Febre Noturna.  São muitos os motivos para ler este livro, um deles é que o autor nos faz olhar para dentro de nossos medos e fantasias, de um modo tão intenso, que é impossível não identificar ao menos um sentimento que você acaba descobrindo como o seu mais íntimo segredo, embora jamais parasse para perceber antes, mas Jean é sempre ávido para apontar isso com fatalidade. Todas as cenas da obra têm certo cenário vanguarda, como se a angústia de repente tornasse a vida em um vai e vem de emoções com balões coloridos acima de nossas cabeças.
A obra traz o sentido de uma vida permissiva, que enfatiza a liberdade como a grande aliada em qualquer tipo de situação. Escutam-se as risadas, não apenas o modo como cada um dos personagens sorri. É tudo tão envolvente, simples e poético, que o desejo de permanecer dentro do livro nos remete à melhor fase de nossas vidas.
Como sempre, Jean é amante da criação do caótico transformado em flores. Sim, seus personagens são sempre muito fortes, com personalidade altamente definida, e a desenvoltura com as palavras é aquela coisa que te faz imaginar – como ele conseguiu construir essa cena? Quais sentimentos ele utilizou para estar tão próximo dos personagens e da realidade de cada um?

A obra:
Há uma pitada de mistério, que chega a ser quase sobrenatural entre os fatos que se interligam, um a um, e unem os personagens. Um romance regado pela escrita poética e simplista, porém de significado muito forte.
Três amigos se unem pelo destino, concorrendo, cada um deles, a eventos passionais e com certo grau de concordância e identificação. Eles se unem pela insatisfação e desejo de se descobrirem em novas versões, àquelas que não se adaptam a hipocrisia do dia a dia, ou o apego que adoece. Jogam-se no mundo em busca de sensações e descobrem a beleza em cada momento que vivem, também a dor, quando esta é realmente verdadeira, longe dos conceitos, etiquetas e receitas pré-concebidas. Lola, Téo e Jonas – o trio perfeito que descobrem na vida, o melhor meio de se viver, seja nas tragédias e percalços, seja na simplicidade do amor que é oferecido sem saber para onde ir... O tempo todo apenas, vão, sem hora para chegar ou voltar, pois ao menos sabem se desejam se fixar em qualquer lugar. Andarilhos da vida. Dos desejos recentemente descobertos. Da fuga de sentir onde dói, e o passado para eles que agora é apenas um amontoado de experiências.

Leia e tire suas próprias conclusões.
Em breve será lançado pela editora EllA. No momento encontra-se em produção para a estante dos leitores. Ainda não possui capa, mas assim que sair, trago para vocês.

Já era fã de Jean, agora ele apenas confirmou isso com Febre Noturna.